No calorão que tem feito aqui no Rio, deliciar-se com um copinho de sorvete não é nenhum sacrifício. E esse copinho for recheado de um delicioso gelato, tal qual os italianos fazem, a missão fica ainda mais incrível. Por isso, conhecer a Vero foi uma das melhores experiências do ano: por lá tomei o gelato de pistache mais delicioso que já provei e pude comprovar o cuidado com o que tudo é preparado (e monitorado bem de perto) por Andrea Panzacchi. Quando a casa foi inaugurada, eu estava morando em terras paulistanas, e não comprovei in loco o furdunço causado pela gelateria. Hoje, depois da aberta de outras casas do gênero, dá para entender porque o sucesso da Vero é tão grande.

wpid-20141027_113534.jpg

Conversei longamente com Andrea e fiquei encantada com a história dele e de seus gelatos. Depois de algum tempo morando no Rio de Janeiro, ele passou por uma separação amorosa e decidiu mudar de vida, até então trabalhava como sommelier. Investiu (com um grupo de sócios que não está mais no negócio) no desejo de oferecer aos cariocas os gelatos italianos dos quais sentia tantas saudades. Contra todos que diziam que ele era louco e que o máximo que nós consumiríamos era sorvete artesanal de rede (nada contra, tem seu super valor), Andrea abriu uma pequena loja em Ipanema, num trecho desvalorizado e considerado pouco atrativo, há quatro anos. Na cozinha localizado no segundo andar da casa, desenvolveu sabores únicos com ingredientes bem brasileiros sem deixar de oferecer pistaches, gianduias e outras delícias tradicionais na Itália. Bingo!

wpid-20141027_112948.jpg wpid-20141027_113121.jpg

Algumas mudanças foram acontecendo ao longo dos últimos anos e fizeram com que a Vero fosse considerada uma das melhores “sorveterias” da cidade. Além da diminuição da quantidade de açúcar de sua linha tradicional (“Percebi ser lenda de que o brasileiro só gosta de doce muito doce”, observa Andrea), o espaço comercializa gelatos diet (adoçados com agave azul) e alguns sabores com ingredientes orgânicos, além de sorbets sem leite. Os meus favoritos, afora os tradicionais, são os de manjericão com azeite, de tiramisù e de frutas vermelhas. Como a produção é diária e a criatividade do Andrea parece infinita, os sabores variam de acordo com o dia e também por temporada. Quando eu estava na loja, entrou uma senhora procurando pelo sabor abacate. Ao ver que não havia, preferiu não levar nenhum. Ossos do ofício! Eu comentei que tomei há uns vinte anos um sorbet de kiwi em Angra dos Reis e nunca mais encontrei em nenhum outro lugar e não é que o Andrea lançou o danado algumas semanas depois? Ainda não fui experimentar, mas estou ansioso para ver como ficou o resultado. Para quem faz sobert de lavanda com limão siciliano (em homenagem a uma cliente especial chamada… Vanda!) e já criou até sorvete de mostarda para ser degustado com pratos salgados, tudo é possível, né?

wpid-20141027_113544.jpg wpid-20141027_113612.jpg wpid-20141027_121136.jpg

Um gelato não tem conservantes, saborizantes e nenhuma elemento artificial em sua composição. Possuem naturalmente menos açúcar (ao menos assim deveria ser sempre, pena nem todas as gelaterias seguirem essa recomendação) e podem ter até 60% menos gordura que um sorvete industrializado, o que torna os gelatos mais saudáveis, além der super saborosos. E a Vero é a única gelateria do Brasil (beijo, São Paulo!) a ter a certificação da Accademia della Gelateria Italiana. Coisa séria, minha gente ❤

Vero
Rua Visconde de Pirajá, 260 – Ipanema
(21) 3497-8754
De segunda a sábado, das 10h30 às meia-noite e meia. Domingos das 11h à meia-noite e meia.

Anúncios